Planejando uma implementação de BI bem-sucedida


Bom, após alguns meses longe do blog devido ao planejamento do TechEd Brasil 2010, estou retomando os posts aqui no meu blog. Como sempre, um dos assuntos que mais gosto de falar é governança, e como parte das ações de sua perfeita implementação é fundamental pensar em Business Intelligence (BI).

Como em qualquer outro projeto ou tarefa, o bom planejamento da implementação de BI da Microsoft é essencial para o sucesso do projeto.

Projetos de Business Intelligence criam desafios especiais que normalmente não são encontrados em outros tipos de soluções técnicas/financeiras, como a implementação de um ERP. Se sua organização planeja implementar um único painel de scorecard no SharePoint ou outro projeto simples, os desafios geralmente não são tão complicados. Contudo, se você está planejando uma solução mais complexa, que pode incluir o Monitoramento, Analítica e Planejamento financeiro usando o PPS, os desafios não devem ser subestimados.

Eles podem abranger tudo, desde a infra-estrutura técnica até os requisitos de negócios e a satisfação dos requisitos vindos dos eventuais consumidores e usuários do sistema. As complexidades podem aumentar quando se combina a equipe de gerenciamento interna e sua abordagem à equipe de gerenciamento e à abordagem de um fornecedor ou uma empresa de consultoria. Reunir os detalhes, decompor e entender os requisitos, desenvolver e colaborar dentro da equipe pode ser uma tarefa bastante difícil. Infelizmente, são justamente essas complexidades que fazem com que muitos projetos de TI errem o alvo e até mesmo falhem completamente.

A abordagem padrão em muitos projetos de BI é normalmente alinhada às metodologias PMBOK (Project Management Body of Knowledge). A maioria das pessoas está familiarizada com os princípios básicos desses métodos, incluindo a criação de um gráfico de Gantt com tarefas, dependências e instruções rígidas a respeito de como o projeto deve fluir, quem deve fazer o que e quando deve fazê-lo; isso se chama método Cascata (Waterfall). A Microsoft tem vários modelos disponíveis em seu site para gerenciar projetos de BI dessa forma. Embora certos aspectos dessa abordagem possam aumentar a probabilidade de sucesso do projeto, na maioria dos casos ela não dá conta, especialmente em projetos maiores e complexos com muitas incógnitas.

O desafio das abordagens de gerenciamento de projeto tradicionais em implementações de BI é que a estrutura de trabalho é rígida demais. Ela estimula um grande volume de planejamento antecipado, como requisitos de negócios detalhados. Esses requisitos são então decompostos em tarefas no gráfico de Gantt e atribuídos a desenvolvedores (Consultores). Tudo isso é anexado ao tempo e aos resultados finais, o que acaba determinando quando esses resultados finais devem ser completados. No entanto, há uma falha importante nessa abordagem: O fato é que projetos de Business Intelligence são dinâmicos e freqüentemente há mais elementos desconhecidos que conhecidos no projeto.

Portanto, a idéia de que um indivíduo ou até mesmo uma equipe possa analisar os requisitos e depois prever o que realmente precisa ser feito e quanto tempo isso levará é como ignorar o enorme elefante branco presente na sala. Se você adicionar requisitos que mudam constantemente, desafios relacionados a hardware e software, conhecimento da equipe ou outras questões dinâmicas, o alcance do sucesso em um projeto de BI se torna algo ainda mais desafiador.

Um abraço e até o próximo post!

Rodrigo Dias (http://https://twitter.com/rodrigodias73)

Comments (2)

  1. Grimaldo Oliveira says:

    Rodrigo, parabéns pelo post, convido-o a vir ao meu blog especializado na área, forte abraço.

    http://www.bicomvatapa.blogspot.com

  2. Grimaldo Oliveira says:

    Rodrigo, parabéns pelo post, convido-o a vir ao meu blog especializado na área, forte abraço.

    http://www.bicomvatapa.blogspot.com

Skip to main content