Windows 10: mais uma etapa de desenvolvimento

Há cerca de duas semanas – mais especificamente no dia dezoito passado – a MS liberou mais uma etapa de desenvolvimento ("build") da versão Technical Preview de Windows 10 para os participantes do programa Windows Insider. Trata-se da etapa 10041 que, diga-se de passagem, trouxe poucas mudanças aparentes (se houve alguma mudança profunda nas entranhas do sistema é impossível saber já que a MS não as divulga…) Não obstante, vamos a elas.

Antes, porém, uma observação: embora não se possa afirmar com segurança, essa aparente escassez de novidades no "build" 10041 pode ser um sinal de que Windows 10 já se encontra em seus estágios finais de desenvolvimento, na fase de remoção de alguns "bugs" remanescentes pois, em um evento recente na China (o WinHEC summit), a MS anunciou oficialmente o "Windows 10 Launching this Summer in 190 Countries and 111 Languages" – o que, traduzindo para o português e ajustando o hemisfério resulta em: "Lançamento de Windows 10 neste inverno em 190 países e 111 idiomas". Como o verão de lá e o inverno de cá vão de junho a setembro, faltam de dois a cinco meses para o lançamento. E eu não creio que vá atrasar.

Mas voltemos ao "build" 10041. A primeira mudança evidente é a alteração do aspecto da tela de entrada, aquela onde se faz o registro (ou "login"), mostrado na Figura 1.

Figura 1: tela de registro de Windows

Segundo Gabe Aul, no artigo do Blogging Windows (o Blog oficial da MS sobre Windows) "Windows 10 Technical Preview Build 10041 now available", esta nova tela faz parte de uma experiência que a MS está fazendo para verificar se ela pode funcionar como local para incluir algumas dicas sobre Windows e coisas que tais. E, ainda segundo Gabe, estas mensagens surgirão nas próximas etapas nos EUA e França (nos demais países apenas a tela mudará, e diversas vezes até o lançamento).

Outra mudança fácil de perceber ocorreu no novo menu Iniciar. Para começar, ele agora é translúcido, como se pode ver na Figura 2 que mostra sua versão ampliada através da qual pode se vislumbrar a tela de fundo de Windows (sim, pois como os preclaros leitores que acompanham meus escritos sobre Windows estão fartos de saber, o menu Iniciar de Windows 10 vem agora em duas versões; a primeira, que aparece ao clicar no botão Iniciar, ocupa apenas uma fração da tela no canto inferior esquerdo, enquanto a segunda, ampliada, que aparece ao se clicar na seta dupla do canto superior direito da versão "pequena" e que tem o aspecto mostrado na Figura 2, ocupa toda a extensão da tela).

Figura 2: menu iniciar translúcido (na versão ampliada)

Além disso, a lista "Todos os aplicativos" está mais fácil de ser acessada, principalmente em telas sensíveis ao toque, e permite que aplicativos sejam arrastados dela para a Área de Trabalho ou para o próprio menu Iniciar.

Outra mudança pequena mas nem por isso menos importante foi a nova janela criada para facilitar o acesso aos ajustes relativos à rede.

Figura 3: Janela de configurações de rede

O lado esquerdo da Figura 3 mostra o aspecto da janela que se abre ao se clicar no ícone de rede da Área de Notificações (na extremidade direita da Barra de Tarefas e assinalado pela seta) desta máquina que vos fala. Seu aspecto franciscano e desinteressante deve-se ao fato desta máquina só dispor de uma conexão de rede, posto que se trata de uma máquina de mesa (ou "desktop") ligada apenas ao roteador de minha rede doméstica, cabeada. Um clique no único ícone que aparece no canto superior esquerdo (ou no atalho "Configurações de rede" que aparece no seu canto inferior esquerdo) abre a seção "Ethernet" da página "Configurações de rede" das Configurações da máquina. Mas em máquinas móveis, por exemplo, esta janela pode ser bastante mais útil e variada, como se vê no lado direito da Figura 3 (obtida no Blogging Windows) onde aparece, entre outras coisas, uma possível conexão a uma rede privada virtual (VPN) e a lista dos pontos de presença WiFi das redondezas. E, ainda segundo Gabe Aul, até o lançamento de Windows 10 mais funções serão agregadas a esta janela.

Figura 4: Aplicativo Fotos

Também o aplicativo Fotos sofreu alterações. Ele agora inclui as fotos que o usuário gravou em seu OneDrive, a nuvem da MS. E se você tiver ajustado a câmara de seu Windows Phone (não tem um? Pois creio que um dia terá) para enviar as fotos ao OneDrive automaticamente, a rapidez com que a sincronização é feita e as fotos aparecem nos aplicativos Fotos de todas as máquinas conectadas à conta daquele usuário é surpreendente (como mostra a Figura 4, onde já aparecem as fotos da tela de "login" de Windows que tirei há pouco para ilustrar esta coluna). Além disso, o aplicativo agora oferece suporte para arquivos de fotos no formato RAW (algo de inestimável utilidade para quem usa câmaras de boa qualidade que oferecem fotos neste formato), recebeu alguns atalhos de teclado e em breve receberá outros. O que é bom, porque apesar de tudo o aplicativo Fotos me parece ainda bastante cru.

Figura 5: Caixa de entrada manuscrita

Outra alteração, útil apenas para dispositivos portáteis com telas sensíveis ao toque, foi a atualização das funções de reconhecimento de caracteres no painel de entrada de texto manuscrito. A figura 5 mostra o painel com os ícones que permitem oferecer sugestões, além daquelas sugeridas no próprio painel.

Houve mudanças que interessam apenas a quem usa Áreas de Trabalho virtuais. Agora elas são numeradas e permitem arrastar e soltar janelas de uma delas para outra. E apenas aparecem na Barra de Tarefas os ícones dos aplicativos abertos na Área de Trabalho que está em uso. Para quem costuma utilizar diferentes Áreas de Trabalho virtuais, estas alterações foram mais que bem-vindas.

Figura 6: novos ícones de sistema

Mas nem toda mudança tem a ver com funcionalidades. Algumas são apenas estéticas, como a mudança de alguns ícones do sistema. Reparem, na Figura 6, como ficaram mais bonitinhos. Isto, sem mencionar o fato de que, depois de dez anos de ingentes pesquisas que envolveram especialistas de diversos campos de estudo, a MS conseguiu, afinal, uma forma decente de designar este computador no qual estou escrevendo ou este computador no qual você está lendo esta coluna. Agora, eles se chamam simplesmente "Este computador", como mostra o ícone no centro da Figura 6. Como é que ninguém pensou nisso antes?

Faltou mencionar uma alteração, que eu deixei para o final para não frustrar meus preclaros leitores logo no início da coluna: a expansão do universo de Cortana.

Cortana, como vocês sabem, é o secretário ou secretária virtual de Windows que fará parte integral de Windows 10 e falará – isso mesmo, se comunicará por voz – com seu patrão, sua excelência o usuário. Ela agora não fala só o inglês americano. Aprendeu também a falar, inglês britânico, alemão, francês, italiano e até chinês e espanhol.

Português, infelizmente, ainda não.

E para fechar a coluna: a Technical Preview é uma versão pré-beta e portanto não se deve estranhar a presença de bugs (esta última etapa de desenvolvimento, por exemplo, emudeceu minha máquina de testes e eu ainda não achei o jeito de fazê-la emitir sons novamente). Mas o artigo de Gabe Aul citado no início da coluna, traz uma longa lista de bugs, muitos deles acompanhados de suas soluções (inclusive a que faz reaparecer os aplicativos Calendário, Email e Pessoas). Se você usa a Technical Preview, recomendo uma consulta.

por B. Piropo

Original: http://itforum365.com.br/blogs/post/113566/windows-10-mais-uma-etapa-de-desenvolvimento