Três motivos porque a educação científica para raparigas é importante


Por: Olusola Amusan, Gerente de Cidadania, Microsoft Nigéria

 Microsoft associou-se recentemente com a Fundação para a Responsabilidade Social Corporativa e Direitos das Crianças (CSR Crianças) para apoiar os seus esforços para incentivar a participação das raparigas na educação de ciências e tecnologia. Isto fez-me pensar sobre as ramificações mais amplas da educação científica para raparigas.

Tem sido uma tendência de longa data que os homens superam substancialmente as mulheres nos domínios da ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM). Isto deriva (desculpe o trocadilho) desde o nível de ensino elementar e continua até à escola e colégio, onde as raparigas e as mulheres jovens são incentivadas a seguir para as humanidades, enquanto os rapazes e homens jovens são encorajados a prosseguir com engenharia e matemática. E este estigma é um problema global.

Então, por que é tão importante incentivar as jovens a entrar nos campos de CTEM? Eu reduzi isto a três motivos principais:

1. A proporção de género nas ciências está desequilibrada
Em um mundo ideal, as mulheres deveriam ocupar 50% dos postos de trabalho em CTEM visto que elas constituem pouco mais de 50% da população global. Infelizmente, a realidade é que a indústria científica é inclinada para os homens, enquanto as mulheres ainda ocupam largamente funções tradicionais como no ensino, enfermagem, escritório e funções de serviços.

Através de uma melhor educação, podemos começar a observar uma estatística mais igual tornar-se em uma realidade, o que também aumentará o número de potenciais cientistas.

2. A importância da "voz feminina" ausente na ciência
Muito importante, como consumidores de ciência e tecnologia, a "voz feminina" é fundamental para garantir que ideias e perspectivas que informam os desenvolvimentos sejam equilibradas, e inclusive da experiência feminina. E, muitas inovações são especificamente dirigidas às mulheres (pense na grande indústria que envolve a gravidez, o nascimento da criança, assistência à infância) – pelo que a sua voz é ainda mais vital nesses casos.

Uma escola de pensamento que explica a falta de mulheres em campos de CTEM é apenas isso – a falta de mulheres nestes campos. O que isto significa é que sem mulheres fortes suficientes agindo como um modelo e a incentivar outras mulheres jovens a perseguirem os seus interesses em CTEM, provavelmente não vamos ver um aumento da presença feminina nesses campos. O que eu penso ser importante aqui é que necessitamos de realçar os sucessos de mulheres em CTEM, criando modelos para as jovens. É por isso que iniciativas como CSR Crianças são tão importantes.

3. Mais empregos em CTEM do que em qualquer outra indústria
Em uma sociedade onde a média das mulheres ainda ganha menos do que o homem médio, tendo mais mulheres em CTEM poderia reduzir a diferença salarial entre os sexos. Isto sucede porque não só existem mais empregos em CTEM do que em qualquer outra indústria, mas a maior parte destes pagam também elevados salários. Obter esta igualdade de remuneração é essencial porque alimenta mais adequadamente a economia e tem o potencial de levar a maior prosperidade individual, familiar, comunitária e nacional.

É necessário fazer muito mais para redirigir as mulheres para carreiras em CTEM. Creio que esta é a responsabilidade de todos, desde pais e colegas, aos educadores, conselheiros e o sector privado. É necessário começar bem no início, incentivando até mesmo as raparigas pré-escolares para explorarem os seus interesses em disciplinas de CTEM. Isto aumenta a probabilidade de quando atingirem a escola e universidade, têm um entendimento claro sobre estes assuntos e a sua aptidão para se tornarem o próximo engenheiro ou cientista inovador.


Comments (0)

Skip to main content