Membros da YALI do presidente Obama vêm à Microsoft!


Por Lutz Ziob

Decano da Academia 4Afrika

"Desejo! Esse é o segredo da carreira de cada pessoa. Não educação. Não ter nascido com talentos escondidos. Desejo,"Johnny Carson

Não há falta de desejo entre os jovens Africanos – desejo de aprender, desejo de alcançar, desejo de fazer a diferença. O objectivo da Iniciativa 4Afrika da Microsoft é aproveitar este desejo e capacitar os jovens para transformarem os seus sonhos em realidade. Então, estamos entusiasmados por hospedar 14 Membros de Mandela de Washington  como parte da Iniciativa de Liderança de Jovens Africanos do Presidente Obama dos EUA, para um estágio de três meses nos escritórios da Microsoft no continente. Este será o primeiro grupo de membros que foram meticulosamente seleccionados entre alguns dos jovens Africanos com mais paixão. Todos eles trabalham nos seus próprios empreendimentos, encontrando formas inovadoras para resolver problemas locais que os tocam profundamente, por exemplo: Haleta Giday da Etiópia que é professora e promotora pública. Ela concentra-se em melhorar os direitos das mulheres e das crianças. O seu desejo após o estágio é trabalhar com as Nações Unidas e a União Africana sobre questões de paz e resolução de conflitos, bem como realizar formação sobre igualdade de género e capacitação das mulheres.

O estágio vai permitir que estes jovens dêem impulso aos seus projectos com o apoio da Microsoft e sua ampla rede de parceiros e perícia de classe mundial em um ambiente de ritmo acelerado. O acesso a uma variedade de poderosos influenciadores vai permitir que todos possam beneficiar mesmo que não adoptem necessariamente uma solução tecnológica.

Durante os três meses, os membros podem praticar a solicitação de financiamento, receber informação pessoal sobre as suas soluções e modelos comerciais, serem introduzidos a aceleradores de arranque inicial e acompanhar os principais responsáveis por decisões da Microsoft ao participarem em reuniões de alto nível. A maioria dos membros não trabalharam previamente em uma empresa multinacional, assim a exposição a negócios além das fronteiras e com as melhores práticas internacionais é uma experiência inestimável. Microsoft também oferecerá avaliação de 360 graus a cada membro e formação de liderança por instrutores profissionais. Tudo isso acontecerá quando estão imersos em um ambiente de trabalho moderno, com as ferramentas necessárias do local de trabalho moderno. Os membros aprenderão como utilizar o poder da tecnologia para alcançar as suas ambições, incluindo ferramentas de produtividade baseadas na nuvem da Microsoft, tais como Office 365, e Azure. 

Mas esta imensa oportunidade não é apenas para os membros. Microsoft terá o privilégio de aprender com eles: Quais os desafios que enfrentam todos os dias? Quais são as necessidades de base e oportunidades nos seus países? Como é que a Microsoft pode trabalhar com eles para criar crescimento e soluções de carreira sustentáveis ??no continente?

Estes jovens líderes vão ajudar a informar a Microsoft, como empresa global, sobre os desafios e oportunidades Africanas com uma perspectiva que está completamente alinhada com os seus mercados e consumidores. Estamos ansiosos para que os membros proporcionem uma injecção de curiosidade e questões, não permitindo que estagnamos nos nossos modos de pensar. Eles fazem parte do nosso investimento em capital humano no continente, um dos principais impulsionadores da Iniciativa 4Afrika da Microsoft.

Assim, é com emoção e prazer que apresento o nosso primeiro grupo de membros:

 A Nigeriana Mfonobong Ekpo, é uma advogada marítima, autora premiada, fundadora do Centro de Descobertas e directora de operações para o Projecto Futuro de África . Ela está muito animada com o estágio, porque é uma "oportunidade de estar em um ambiente de aprendizagem intensa, que oferece oportunidades concretas de crescimento e desenvolvimento. Microsoft incorpora este tipo de ambiente e cultura. “

 

 

 

O Ugandês, Humphrey Anjoga, é co-fundador e director de operações na Escola do Uganda de Desenvolvimento Profissional. O seu objectivo é de se tornar um profissional competente de TIC particularmente em e-Governo e Auditoria de Sistemas de Informação. "O meu sonho é de envolver a comunidade rural na utilização da TIC através da criação de centros regionais de TIC.”

 

 

A Queniana, Emily Murabu, é a fundadora da Tunaweza. Ela quer ver mais mulheres como empreendedoras, que sejam capazes de abraçar a tecnologia para resolver os seus problemas sociais e elevar o seu estatuto social. Nos próximos cinco anos, ela gostaria de ver as pessoas que vivem nas áreas rurais terem acesso a serviços de internet

 

 

 

 

 Charlene Migwe, do Quénia, tem três anos de experiência em TI e está a estabelecer soluções para ajudar os cidadãos Africanos a contribuírem para a melhoria dos seus países. Ela acredita que o estágio da Yali vai ajudá-la a aprender melhores competências de gestão, que vão estimular o crescimento da sua empresa para níveis mais sustentáveis.

 

 

 

 

 A Tanzaniana, Ruth Elineema, é uma professora na Universidade de Arusha e fundadora da Gongali Model Company Limited. "O estágio da YALI é uma oportunidade para compartilhar a minha iniciativa e rede com especialistas e obter conhecimentos relevantes que possam ajudá-la a crescer. Tem como objectivo desenvolver uma transformação holística de pequenas comunidades e grupos sub-servidos, dando-lhes acesso a tecnologias apropriadas por meio de soluções financeiras criativas e personalizadas.

 

 Laud Boateng, no Gana, é um médico estagiário de saúde pública, que "quer ver um país posicionado para saúde e riqueza entre a sua população – um ambiente onde as pessoas vão ter a força e a aptidão para contribuir com os seus talentos para o desenvolvimento total da região e a povoação global. É meu desejo que o actual aumento de jovens será fundamental no impulso desta mudança com mentores a moldarem este sonho.”

 

 A Namibiana, Mandy Shemuvalula, é fundadora e CEO da Gloca Inc e acredita que o estado da TIC na Namíbia está a crescer e a evoluir, mas não com rapidez suficiente. "Muitas empresas não são capazes de atingir níveis óptimos de eficiência e eficácia e isto reflecte-se no seu pobre desempenho. Aqueles que são, tornam-se um farol de esperança para o resto. É ainda uma indústria virgem.”

 

 

Aarthi Burtony das Ilhas Maurício é presidente da DIS-MOI. O seu objectivo pessoal é garantir que a TIC forme uma parte da vida diária de cada Mauriciano, independentemente da sua classe social. "Deve incluir a tecnologia especializada para pessoas com deficiência. Espero fazer a diferença na vida daqueles que nunca pensaram que um dia teriam acesso à TIC.”

 

 

 

 

 David Chakombera da Zâmbia é um conselheiro sénior da Ernst & Young e co-fundador da Africa Lead, uma incubadora para empreendedores talentosos. É também membro do conselho "Lidere-nos Hoje", onde pretende capacitar os jovens para liderar esforços de desenvolvimento comunitário e orientação de alto nível para o sector informal no Zimbabué

 

Hastings Mkandawire tem mais de dez anos de experiência em energia alternativa rural e iniciativas socioeconómicas para elevar a juventude. Actualmente, ele actua como coordenador nacional para a Média & Tecnologia da Juventude (MTESO). Após o estágio, pretende realizar sessões de formação para fortalecer as actividades económicas da juventude em apoio a jovens em áreas rurais isoladas do Malawi.

 

 

 Haleta Giday da Etiópia é uma professora e promotora pública. Ela concentra-se em melhorar os direitos das mulheres e das crianças. O seu desejo após o estágio é trabalhar com as Nações Unidas e a União Africana sobre questões de paz e resolução de conflitos, bem como realizar formação sobre igualdade de género e capacitação das mulheres.


Comments (0)