Porque estes oito professores visionários foram escolhidos como os melhores da África ao Sul do Sara


Por Djam Bakhshandegi, Cidadania Corporativa e Parceiros na Aprendizagem na África Ocidental, Oriental, Central & Ilhas do Oceano Índico

Esta semana, oito professores da África ao Sul do Sara vão viajar até Barcelona, ??Espanha, para participar no Foro Global da Microsoft na Educação, uma iniciativa essencial para reconhecer os professores mais inovadores do Mundo.

Porquê? Foram seleccionados para fazer parte da classe de Escolas de Mentores e da Classe Inaugural de Educadores Especialistas de 2014 da Microsoft. Estes programas exclusivos de um ano reconhecem educadores visionários que estão a usar tecnologia para melhorar os resultados dos alunos, equipá-los com capacidades do século 21, e que estão abrindo o caminho para outros professores, mostrando-lhes o que pode ser alcançado com a tecnologia na sala de aula

A nossa população jovem está crescendo rapidamente. Actualmente, cerca de uma em cada três pessoas na África ao Sul do Sara têm idades entre 10 e 24 anos. Em 2050, esse número deverá dobrar. Por isso, é essencial agora mais do que nunca investir na educação dos jovens da região, que por sua vez, irá melhorar o potencial de crescimento económico e desenvolvimento. Na Microsoft, acreditamos firmemente no papel que a TIC pode desempenhar na redução do fosso de oportunidades emergentes e orientar os jovens para a educação, competências e oportunidades de que necessitam para prosperar na era de hiper-ligação. E os professores devem estar no centro disto.

 Conversei com alguns dos professores que estão a representar a África ao Sul do Sara, na Espanha. Eis o que eles disseram sobre o uso de tecnologia na educação:

 Uganda tem uma das populações mais jovens da África, e uma taxa de desemprego entre os jovens de 63%. Então, o que o Uganda precisa é de um sistema de educação que capacita jovens para responder às necessidades prementes do país e do mundo em geral, envolvendo-os na busca de uma mudança positiva,” Chole Richard, Uganda.

“Para funcionar neste mundo de base tecnológica e ajudar no desenvolvimento do país, a nossa juventude deve ter perícia em TI e ser adequadamente preparada para assumir novos postos de  trabalho. Maurício, sendo uma pequena ilha desprovida de recursos naturais, terá que contar com os seus recursos humanos para garantir o crescimento económico e social contínuo. Portanto, é importante capacitar os nossos jovens com as capacidades necessárias para se manterem em sintonia com as exigências mundiais de progresso contínuo.” Anil Saccaram, Ilhas Maurício

A educação é o maior legado que pode ser entregue à geração mais jovem e precisamos investir na educação dos jovens da Nigéria, de modo a prepará-los psicologicamente, intelectualmente e socialmente para lidar com a vida depois da escola. Isso também, invariavelmente, leva ao desenvolvimento nacional, paz e segurança,” IykeIkechukwu Chukwu, Nigéria

Para ser seleccionado como educador especialista, os professores devem demonstrar um compromisso para com inovação e aproveitar a tecnologia para dar aulas em modos inspiradores. Eis algumas das maneiras como eles usam a tecnologia na sala de aula.

Os meus alunos usam a tecnologia para a resolução de problemas através da criação de multimédia com o propósito de expressar as suas preocupações às comunidades em qualquer parte do mundo,” Chole Richard, Uganda.

 Somos a primeira escola no nosso país a usar a tecnologia para ensinar artes visuais. Isto permite aos alunos de adquirir conhecimentos na área e economiza tempo. Usamos programas criativos de software, incluindo Windows Movie Maker, ferramentas de imagem e animação,” Papa Mamadou, Senegal

Todos os professores podem confirmar os efeitos positivos imediatos de trazer TIC para a sala de aula.

As aulas tornaram-se mais interessantes, envolventes e divertidas,” Anil Saccaram, Ilhas Maurício

 “Eu ensino matemática e matemática avançada aos alunos semi-rurais. Depois de aplicar a tecnologia na sala de aula, o número de alunos que passam exames aumentou em 73%; especialmente no ensino da matemática 3D e abstracta,” Veranique Obiakor, Nigéria

O Foro da Microsoft na Educação começa na Quarta-feira, e os professores serão fortemente envolvidos na consulta com a Microsoft sobre os seus investimentos em educação. Eles vão fornecer informações sobre novos produtos e ferramentas, e ajudar a empresa a entender como a tecnologia funciona – ou não funciona – em salas de aula da vida real.

Que conselhos têm os Educadores Especialistas da Microsoft para outros professores?

Ser pragmático e começar com aplicações simples, como Word, Excel e PowerPoint, que eu acho são excelentes ferramentas que permitem que os professores criem os seus próprios recursos.”Veranique Obiakor, Nigéria

Muitos jovens já estão mais avançados do que os professores, porque eles acham que é mais fácil (e já estão a) abraçar a tecnologia. Por isso, o professor precisa ser mais versátil, a fim de permanecer relevante na vida dos alunos.”Chole Richard, Uganda

Não tenha medo. A tecnologia é fácil e divertida tanto para os alunos como o professor, há muitos cursos disponíveis para os professores aprenderem a implementá-la nas suas salas de aula de forma eficaz,” Hannington Ochieng, Quénia

O que esperam alcançar como parte da Classe de Educadores Especialistas de 2014?

Espero que ter acesso e usar recursos grátis da Microsoft para criar ferramentas de produtividade inovadoras que ajudarão a dar mais vida ao meu ensino e actividades de instrução.”Ikechukwu Chukwu, Nigéria

Estou ansioso para aproveitar ao máximo as oportunidades de orientação e de aprendizagem que estão agora disponíveis para mim, assim como ser capaz de ter contacto com educadores que pensam do mesmo modo em África. Ser um Educador Especialista da Microsoft vai me auxiliar a melhorar os resultados do ensino dos meu estudantes, meus colegas educadores, bem como impulsionar a tecnologia na educação num palco global,” David Muya, Quénia.

Posso garantir que farei tudo o necessário para garantir que esta oportunidade seja transformada para a sala de aula para melhorar desempenho e melhorar o ensino de toda a comunidade,” Hannington Ochieng, Quénia

Espero fazer uma diferença na educação na Nigéria. Não existe um grande orçamento para a educação no país, mas acredito que o acesso à tecnologia pode nivelar o campo de participação para as crianças de todas as  origens,” Ayodele Odeogbola, Nigéria

Espero alcançar com os meus alunos uma exposição de arte plenamente desenvolvida com obras criadas e executadas com tecnologia,” Papa Mamadou, Senegal


Comments (0)

Skip to main content